Saltar para o conteúdo principal da página
A carregar...

Ficha de projeto

Nome

RN21

Valor total do projeto

17,5 milhões €

Valor pago

3,95 milhões €

Financiamento não reembolsável

17,5 milhões €

Financiamento por empréstimos

0 €

Data de início

07.09.2021

Data de conclusão

31.12.2025

Dimensão

Transição Climática

Componente

Bioeconomia

Investimento

Bioeconomia

Código de operação

02/C12-i01.01/2022.P6

Sumário

O Consórcio apoiará empresas do setor na diversificação do seu portfolio de produtos de base biológica derivados da RN, de maior valor acrescentado, e na melhoria e modernização dos processos produtivos por via da incorporação de tecnologias digitais, promoção da descarbonização e adoção dos princípios de Economia Circular; OG2. Contribuir para a neutralidade carbónica e para uma floresta portuguesa mais produtiva e resiliente, e desta forma, reforçar a capacidade de sumidouro de carbono, através do melhoramento do material vegetal reprodutivo e técnicas de resinagem que permitem aumentar a produção e valorização da RN enquanto produto florestal e reduzir a dependência de RN importada. OG3. Contribuir para a coesão territorial, em particular na zona Centro e Norte do país onde se encontram as principais áreas de pinhal resinadas e a maioria do tecido empresarial do setor, através do aumento da competitividade das empresas e da criação de emprego qualificado. OG4. Contribuir para o reforço da aposta na ciência e na tecnologia, através das atividades de investigação e de inovação nas empresas em parceria com entidades do SCTN, Instituições do Ensino Superior e com entidades do território. Os objetivos específicos, organizam-se em 3 pilares previstos no Convite à Criação de Consórcios: I –Fomento da produção da resina natural nacional: 1. Reforço da capacidade produtiva do pinhal; 2. Aumento da produtividade da resinagem; 3. Resinagem mais atrativa para proprietário florestal II –Reforço da sustentabilidade da indústria transformadora: 1.Apoio ao investimento industrial e à cadeia de valor; 2. Novas aplicações e reforço dos mercados. III –Diferenciação positiva da resina natural e produtos derivados: 1. Criação de um “selo” ibérico e divulgação técnica sobre toda a cadeia de valor; 2. Comunicação e marketing. Estes objetivos serão atingidos através da execução de 22 medidas-chave que irão resultar em produtos, projetos e serviços, alicerçados em investigação e conhecimento, para os produtores de resina, as indústrias de transformação e o mercado. As medidas-chave incluídas no RN21, baseiam-se nas medidas previstas no Convite à Criação de Consórcios, que em alguns casos foram desdobradas para permitir a articulação com os investimentos estratégicos das empresas do consórcio, bem como a salvaguarda de questões de confidencialidade e dos seus posicionamentos competitivos individuais nos mercados. O Consórcio RN21 reúne as empresas do setor da resina em Portugal, num esforço sem precedentes de cooperação setorial. Efetivamente o consórcio inclui 12 empresas do setor da resina, das quais uma da produção -RAIZES IND -, três da 1ª transformação -VIEIRIFABRIL, GUM QUEMICAL, PRORESINA -, cinco indústrias da 2ª transformação -EUROCHEMICALS, GUM ROSIN, UNITED RESINS, PINOPINE e UNITED BIOPOLYMERS -e três com integração vertical da 1ª e 2ª transformação –KEMI e RESPOL, DERCOL. O consorcio reúne totalidade das empresas de transformação da resina em Portugal, o que acontece pela primeira vez no nosso país.

Beneficiários

No âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência, existem duas tipologias de beneficiário que têm a responsabilidade de executar os projetos, aplicando o financiamento recebido. Dado o seu papel comum, a referência a estas duas tipologias de beneficiário foi simplificada e unificada no termo “Beneficiário”.
As duas tipologias são:
  • Beneficiários Diretos são aqueles cujos financiamento e projetos a executar constam do Plano de Recuperação e Resiliência negociado e aprovado pela União Europeia;
  • Beneficiários Finais são aqueles cujos financiamento e projetos a executar são aprovados após um processo de seleção, feito através de Avisos de Candidaturas.

Aviso de Candidaturas

Na realização dos Avisos de Candidaturas são solicitadas candidaturas para a escolha dos projetos e dos beneficiários finais a quem é atribuído o financiamento.

A avaliação do projeto é realizada com base na sua conformidade com os critérios de seleção definidos nos avisos de candidatura, podendo ser atribuída uma nota final, quando aplicável.

Nota final da avaliação

4,9
Nota importante

Poderá encontrar os componentes do cálculo da nota de avaliação no documento de critérios de seleção referenciado em baixo.

Critérios de seleção

Os critérios de seleção de financiamento a que este projeto e respetivo beneficiário final esteve sujeito e a sua classificação podem ser consultados em detalhe na plataforma Recuperar Portugal.

Beneficiários

Beneficiários intermediários

Beneficiários

Contratação pública

Os Beneficiários que sejam entidades públicas operacionalizam o seu projeto através da celebração de um ou mais contratos de fornecimento de bens ou serviços com entidades fornecedoras, através de procedimentos de contratação pública.

De forma a garantir e disponibilizar o máximo de transparência na contratação pública, é aqui disponibilizada a listagem dos contratos que foram celebrados ao abrigo deste projeto e respetivo detalhe que poderá consultar na plataforma Base.Gov. De realçar que de acordo com a legislação em vigor no momento da celebração do contrato, existem exceções que não exigem a sua publicação nesta plataforma, pelo que nesses casos, poderá não existir informação disponível.

Distribuição geográfica

17,5 milhões €

Valor total do projeto

Percentagem de valor já pago para a execução de projetos

, 22,6 %,

Onde foi aplicado o dinheiro

Por concelho

20 concelhos financiados .

  • Cantanhede 4,57 milhões € ,
  • Vila Real 2,71 milhões € ,
  • Figueira da Foz 1,86 milhões € ,
  • Vila Nova de Famalicão 1,48 milhões € ,
  • Leiria 1,39 milhões € ,
Fonte AD&C, EMRP
19.06.2024