Saltar para o conteúdo principal da página
Loading...

Projeto Portugal 2020

Transposição de sedimentos para optimização do equilíbrio hidrodinâmico na Região de Aveiro

Nota importante

Os valores apresentados não contemplam a execução do Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (FEADER), que será disponibilizado em breve pelas entidades responsáveis.

Ficha de projeto

Nome do projeto Transposição de sedimentos para optimização do equilíbrio hidrodinâmico na Região de Aveiro .
Data de conclusão 30.06.2022 .
Financiamento total 21,7 milhões € .
Valor gasto 19,5 milhões € .
Sumário

A Ria de Aveiro é uma laguna costeira de águas pouco profundas, ligada ao oceano atlântico através de uma única embocadura e com uma rede de canais de maré permanentemente ligados. Nesta laguna desaguam diversas linhas de água, das quais se destacam os rios Vouga, Antuã e Boco. A ligação ao mar é estabelecida através de uma barra existente no cordão litoral. As principais ações forçadoras da dinâmica da Ria de Aveiro são: a maré oceânica, que se propaga de sul para norte ao longo da costa oeste de Portugal, penetrando na laguna através do canal da embocadura e fazendo sentir os seus efeitos mesmo na extremidade montante dos vários canais; o caudal dos rios Vouga, Antuã, Boco, Fontanel e de diversos ribeiros e cursos de água que desaguam na extremidade montante do Canal de Mira. Esta descrição da Ria de Aveiro consta do documento “Demarcação do leito e da margem das águas interiores sujeitas à influência das marés, nas bacias hidrográficas do Vouga, Mondego e Lis” (ARH-Centro, março 2014) - Agência Portuguesa do Ambiente. A operação de Transposição de Sedimentos para Otimização do Equilíbrio Hidrodinâmico na Região Centro consiste no desassoreamento dos canais da Ria de Aveiro. As zonas a dragar serão o Canal de Ovar até ao Carregal e a Pardilhó, o Canal da Murtosa até ao Chegado, o Canal de Ílhavo (Lago do Paraíso e Zona Central) e o Canal de Mira, com vista à reposição destes sedimentos quer no litoral, quer nas margens dos canais de modo a reduzir o risco de cheias e galgamentos na zona envolvente dos canais da Ria de Aveiro. Assim, pretende-se com esta operação desassorear a lagoa, como essencial para a recuperação e valorização dos ecossistemas, e por outro lado reforçar e promover ações de reposição de equilíbrio da dinâmica sedimentar, nomeadamente através da reposição de dragados, que se traduzem em medidas ativas que visam restabelecer o fornecimento de sedimentos ao litoral, bem como reforçar cotas em zonas baixas costeiras ameaçadas pelo avanço das águas, nas margens da Ria de Aveiro. O parecer da APA refere ainda que esta solução apresenta-se como uma solução técnica bastante adequada e sustentável para proteção costeira lagunar e para aumento da resiliência do território nacional aos riscos de erosão costeira. Relativamente ao Canal de Mira, para além dos depósitos previstos nas margens, parte dos sedimentos será depositada na zona de rebentação (praia imersa), de forma a lavar o sedimento e reforçar a deriva litoral, com vista à minimização de efeitos erosivos neste troço particularmente ameaçado. Estes sedimentos serão depositados entre a Costa Nova e o Areão. A previsão do volume de sedimentos dragados da Ria de Aveiro, a movimentar nas ações de reforço de cotas em zonas baixas costeiras ameaçadas pelo avanço das aguas, nas margens da Ria de Aveiro, bem como nas ações de reposição de equilíbrio da dinâmica sedimentar, nomeadamente através da reposição de dragados é de 1.047.996,65m3. A operação prevê além das empreitadas de transposição de sedimentos para otimização do equilíbrio hidrodinâmico da Ria de Aveiro, as respetivas fiscalizações, a implementação do programa de monitorização em fase de pré-construção/ construção (previsto na DIA), e diversas despesas relativas à Avaliação de Impacto Ambiental. A operação prevê ainda despesa relativa ao restabelecimento de duas condutas de água, propriedade das Aguas do Centro, que devido à natureza dos trabalhos a ser desenvolvidos na operação vai obrigar ao rebaixamento destas infra estruturas que atravessam os canais de Mira e Ílhavo.

Distribuição geográfica do financiamento

21,7 milhões €

Financiamento total do projeto

Onde foi aplicado o dinheiro

Por concelho

7 concelhos financiados .

  • Aveiro 6,8 milhões € ,
  • Ílhavo 6,4 milhões € ,
  • Ovar 4,1 milhões € ,
  • Vagos 2 milhões € ,
  • Murtosa 1,4 milhões € ,
Fonte AD&C, GPP
28.02.2022